Pesquisa personalizada

1.1.00

.zero.

* Tudo aqui é criado. Recriado. E recriado novamente se for possível e preciso¹.
¹ ter necessidade de + que expressa fielmente e com clareza o pensamento.

"Espero tanto tudo e o todo muda
Enquanto mudo junto, tudo ajuda
Agora, estar sozinho tudo muda
E esperar tanto tudo agora nada." (Vadio)

---
∞ : como uma gota que nasceu e já faz parte da poça : ∞

∞ : encara e escancara o encalacrado : ∞
∞ : me limito ao meu infinito : ∞

9.6.09

.sessente.dois. .orinoco.

.oteart.
.rio.


Orinoco
de Emilio Carballido
Direção: Dagoberto Feliz
Com Bete Dorgam e Daniela Carmona

De 05/jun a 26/jul
Sextas e sábados às 21h
Domingos às 19h

Teatro João Caetano
R. Borges Lagoa, 650, Vila Clementino (m^ Santa Cruz) - Info: 5549.1744
$15 (inteira) | $7,5 (meia - estudantes, maiores de 60 anos e classe artística)

.sessente.um. .o pelicano.

.oteart.
.peças de câmara.
.tragédia doméstica.

Projeto Letras em Cena:

O Pelicano, de August Strindberg
Direção: Bruno Giordano
Com Gustavo Haddad, Lui Seixas, Maira Galvão e Martha Meola.
15/jun às 19h30
Entrada gratuita
MASP
Av. Paulista, 1578 (m^ Trianon-Masp) - Info: 3251.5644

7.6.09

20 anos 100 Leminski

.surrupiei.
.20 anos 100 Leminski.
.www.elsonfroes.com.br/kamiquase/nindex.htm.

"Haja hoje para tanto ontem."
"Como se pode presumir, não se pode pressupor."
"Eu faço poesia como a aranha faz sua teia. Não tem por quê. Estou além do por quê. A minha poesia, para mim, é uma atividade intransitiva."
---------------------------------------------------------
vão é tudo
que não for prazer
repartido prazer
entre parceiros

vãs
todas as coisas que vão
---------------------------------------------------------
deus
___algum
_______indu
__________ogum
______________vishnu
precisa
_______da tua prece

tua pressa
_______pessoa
só teu pulso
___________acelera

você padece
padecer
_______te resta

tudo
___um belo dia
___________desaparece
---------------------------------------------------------
um arco em forma de A
uma flecha em forma de B
um alvo em forma de C
---------------------------------------------------------
undergroundblitzkrieg
o close-up do souvenir
o ersatz do harakiri
o marketing de pindorama
---------------------------------------------------------
tai-otoshi para a kokodan

passos lentos
escrevem
VONTADE DE CHEGAR

precisa andar
como quem já chegou

chega de chegar

depressa
é muito devagar
---------------------------------------------------------
isso___ ?
aqui___?
_____?
assim__?
---------------------------------------------------------
o barro
toma a forma
que você quiser

você nem sabe
estar fazendo apenas
o que o barro quer
---------------------------------------------------------
parem
eu confesso
sou poeta

cada manhã que nasce
me nasce
uma flor na face
parem
eu confesso
sou poeta

só meu amor é meu deus
eu sou o seu profeta
---------------------------------------------------------
eu
quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro
ou está por fora

quem está por fora
não segura
um olhar que demora

de dentro de meu centro
este poema me olha
---------------------------------------------------------
eu ontem tive a impressão
que deus quis falar comigo
eu não lhe dei ouvidos

quem sou eu pra falar com deus?
ele que cuide dos seus assuntos
eu cuido dos meus
---------------------------------------------------------
Marginal é quem escreve à margem,
deixando branca a página
para que a paisagem passe
e deixe claro tudo à sua passagem.

Marginal, escrever na entrelinha,
sem nunca saber direito
quem veio primeiro,
o ovo ou a galinha.

16.5.09

.sessenta.

.diadia. .peido mental.
.a.qu.ele.son.s.

Aquele dia.
Aquilo de...
Aquela noite.

Aquiles.

Qual ganhar?
Se perder?

se banhar
se benzer

Bendisser
Maldizer

Odisseia
de hoje ser
palco-plateia

contrapor
contraluz

S O S

Reviver
Remover
Rebuscar e repartir

Não mais de ré,
mas agora em mi

Se em si tá lá,
deixa seu sol vir...

Sem dó fá Z
deixa-te conduzir.

.cincoente.nove.

.diadia. .peido mental.
.quem fuça.
.fuça d'quem.

Nunca foi-se...
Se ao foço fosse...
Mas nunca à foice!
Por isso, pôs-se.

Quem tem estômago
pra tanto sândalo?
Quem ri no âmago
se sentindo trêmulo?

27.4.09

.cincoente.oito. .salvarte.

.oteart. .surrupiei.
.Marcelo Rubens Paiva. .a arte salva.
.Domingos Oliveira.
.salvarte.

CARTA ABERTA AOS ARTISTAS DE VERDADE OU OS OPERÁRIOS DA CATEDRAL

Se você tem certeza que é um artista de verdade, que sua razão de ser é a Arte, que sem a Arte você morreria, leia isso: É um chamado, uma convocação. Pouca gente sabe o que é a Arte. E, no poder, quase ninguém. Por isso acontecem absurdos como essa badaladíssima discussão. Juca Ferreira versus Lei Rouanet. E a coisa da OS (Organizações Sociais). São movimentos atuais que em resumo consistem em entregar o dinheiro disponível para a Cultura, através de várias Leis e processos, para o Governo. Aumentar o Poder do Governo, confiando em seus critérios para julgar. De que modo deve ser usado o dinheiro público (isenção de impostos ou outras coisas).. É claro que os destinos do cinema e teatro brasileiros não devem continuar sendo regidos por diretores de departamentos de marketing (embora eles tenham se comportado, até hoje, razoavelmente bem). Como este ponto é indubitável, J Ferreira ganha sempre as discussões, posto que está com a razão. O dinheiro público deve ter a tutela do governo, para que possa ser aplicado no bem comum. E nesse tipo de teoria, perdemo-nos todos em reuniões infindavelmente monótonas e vazias de conteúdo. Claro que o dinheiro da Arte e da Cultura deve ser comandado pelo Governo. A propósito, deve ser dito que já é. Posto que os maiores patrocinadores são estatais (Petrobrás e outras). Não é importante saber se o dinheiro fica com o Juca Ferreira ou com a Petrobrás. O importante é saber o que eles vão fazer com isso. E eis que chega a pergunta que ninguém faz, por falta de coragem:
- Que tipo de filme ou peça o ministro JF acha que deve ser produzido? Quem vai levar o dinheiro? É isso que interessa. O ministro imediatamente argumentará que essa decisão não é dele, e sim das comissões que constituirá. Será uma inverdade quando ele disser isso. Perigosa inverdade. As comissões são controladas por quem as nomeia. Sendo sempre altamente manipuláveis. De modo que é preciso saber qual é o gosto pessoal do Juca. Que concepção ele tem da Arte e da Cultura. Observemos que começa aqui a fatal confusão. A Arte faz parte da Cultura, mas não é a Cultura. É maior e mais importante que a Cultura, ou pelo menos pertence a outro departamento. Cultura é Educação. É uma coisa que se preocupa, que aprende, que bebe na fonte do passado. A Arte é a locomotiva da Cultura. É o arauto que anuncia o futuro. A Arte diz respeito àquilo que não existia ainda, e está sendo criado. A Arte defende a humanidade.
Quando escrevo essas palavras estranhas, pressinto a incompreensão. São transcendentes, confesso. A Arte é transcendente. É a mais forte arma de comunicação, recurso didático para tornar os homens civilizados. A Arte ensina aos homens seus maiores valores. O amor, a dignidade, a honra, o patriotismo, a cidadania, a solidariedade. Por causa deste nobre alcance, a Arte jamais é citada em debates públicos. A massa burguesa da maioria encarregou-se nos últimos séculos a desmoralizar a palavra Arte. Segundo estes tolos, a Arte é uma coisa desnecessária, fútil, em geral exercida por gente que não gosta de trabalhar. Quando, na verdade, a Arte é o único trabalho verdadeiro. Se você não entende essas palavras ou se elas irritam, pare de ler esse artigo já. Ele não é pra você. Você pode ser um bom sujeito e até um pensador lúcido, mas não é um artista.
Juca Ferreira é um homem forte. De um carisma notável, eloqüência, e, por que não dizê-lo, simpatia irresistível. É preciso saber de um homem desses o que ele entende por Arte.
Repito. Que filmes e peças deveriam ser feitos com o dinheiro público, segundo a opinião pessoal dele?
Para exigir a resposta dessa pergunta, convoco meus pares, os artistas, a repercutir esse artigo. Faz anos que preconizo a existência de um Ministério da Arte. Todos tem medo de mim e preferem me achar ridículo, pensar que estou brincando. Não estou. Penso que a Arte é o que sustenta a Cultura, o que a leva para frente. Não existiria o cinema e o teatro brasileiro sem Glauber Rocha e Nelson Rodrigues. É o artista que tem que ser protegido pelos governos.Não pensem que puxo a sardinha. Os bons artistas, como eu e muitos, sobreviverão de qualquer jeito. Com Ministério ou sem, não importa as reuniões de Juca Ferreira.
É a Arte que vai abrir os mercados internacionais. É a Arte que nos dará o respeito do público. A Arte é o retrato do país. Um país pobre como o nosso não pode gastar dinheiro público com filmes e peças ruins. Somente devem ser feitos peças e filmes bons! E quem vai decidir o que é bom ou ruim, pergunta o leigo incauto. Ele responde: Isto não pode ser posto em Lei, é subjetivo. Engano fatal. O único que pode julgar a arte é o artista. E não é difícil reconhecer um artista, a primeira vista. É aquele que ama realmente a humanidade e constrói uma obra sobre esse amor.
Atualmente, a palavra “diversidade” sacralizou-se. Quem duvidar disso, morre. Concordo com a diversidade. Mas ela está abaixo do critério da Arte.
Todas as comissões propostas são mistas: minoria dos artistas, maioria de burocratas ou técnicos interessados no assunto ou no prestígio. Isto está errado. Os verdadeiros artistas devem ter a maioria de qualquer comissão, porque somente eles entendem o que é a Arte. É pretensão de outros querer julgar a atividade artística.
Enfim, as palavras cansam.
Sei que somente serei entendido pelos artistas de verdade. Para eles que escrevo e peço que não me deixem sozinho e repercutam, a seu modo, esse meu artigo. Tenho certeza que vocês concordarão, sendo artistas verdadeiros.
Na prática, confesso que sou a favor do Juca e das OSs. Um homem deve lutar pela Lei correta. E depois lutar, mais agressivamente ainda, contra aqueles que aplicam mal a Lei. Essa é uma briga que vem depois. Apesar de que eu, artista, não tenho tempo pra isso. Minha obra me espera. Tenho pouco tempo. A eternidade seria pouco...
Somente a Arte salva, sem a Arte não há salvação.
“Oh, minha alma! Não aspira a vida imortal, porém esgota o campo do possível” (Píndaro)
Por favor, repercutam, companheiros.

Com todo respeito ao ministro, e até confiança,
Domingos Oliveira.

---

Não assino em baixo de tudo. Mas concordo com respeito ao respeito à Arte. Não apoio necessariamente Juca Ferreira. Nem ninguém. Mas acredito que é a este que devemos recorrer, visto seu posto. Também não acredito que quem lê esta carta é obrigatoriamente um artista. Nem quem não a leia não o seja. Acredito que quem tem esta chama acesa, esta ideia e ideal, sendo da arte ou não, é um artista. Da vida. E não necessariamente precisa concordar.
Sei também que não precisamos nos "salvar", mas dar condições de vida com a arte. Como e quais? Quem tiver A resposta, por favor: luisfseixas@gmail.com!

Com todo respeito aos artistas de verdade.

PS: leia (aqui) a Carta Aberta ao Presidente Lula e ao Ministro da Cultura Juca Ferreira e (aqui) a Carta Aberta ao Ministério da Cultura na ocupação da Funarte pelo Movimento 27 de Março, exigindo um diálogo democrático e honesto e explicando que o FNC (Fundo Nacional de Cultura) não é um programa de incentivo (Lei Rouanet), mas um "instrumento contábil para a ação dos governos".

21.4.09

.cincoente.sete. .sick zé.

.diadia.
.continuum.
.arte com.tempo.runnin'.

Sick Zé

Sim, nestes dias...

Sinestesia contemplativa.

Assombroso medo
Ignorância feliz
Solidão coletiva

Se quiser:
- detalhe em zum
- retalho de Picasso em mini xerox p&b
- mix de Duprat+deprê
- Sol Mi Fá Lá: poluído

: L'art sem tempo - runnin'

Se quiser...

20.4.09

.cincoente.seis.

.diadia. .peido mental.
.com.ser.vazão.

de antemão
na contramão
mei sem noção
só sei dizer que

sua salvação
é na razão
e conservação
de seus porquês

12.4.09

.cincoente.cinco.

.diadia. .peido mental.
.sue & cid.

De que parte da ponte eu pulo
Se é debaixo da ponte que eu moro?
Se nunca atravesso esta ponte
Um dia, talvez, nesse vaivém me revigoro.

A lágrima, não mera coincidência,
Despenca numa queda livre da borda
Alcança sua infinitude de transparência
Sem nenhuma saudade de bordas.

.cincoente.cuatro.

.diadia. .peido mental.
.dispenso resto.

Plane

Amo este ser pleno
Sereno e completo
Me derreto ao seu mínimo afeto
Discreto, indireto
Repleto de paixão no seu ato
Seu poder de veto
é o voto ao vento em movimento
Secreto e atento
Me sento ao seu lado
e me sinto ereto
Coleto seu tempo
em sutil evolução
É isento de culpa e perdão

10.4.09

.cincoente.três. .saudade.

.diadia.
.to.:.$mokes.

Saudade

Laudo: saudade.

__da dádiva
__da audácia
__da astúcia
e da eterna novidade.

__de tuas palavras lavradas
__de tua mensagem-massagem
__de tua sinestesia anestésica
que sintetiza mentira e verdade.

__de teu tapa na cara
__de tua capa da tara
__de tua puta pura
__de tua humildade e vaidade.

__de tua prosa e poesia
que nos leva além
que nos eleva
que nos releva e nos revela também.

Proeza: prazer sem prazo de validade.

7.4.09

.cincoente.dois. .tudo passa.

.extesto. .entre.
.recuperação.

Tudo Passa

__A vida é passageira e eu me coloco numa posição de retaguarda, sempre esperando alguém ligar o motor pra, aí sim, poder dar a partida. Parto do princípio que há vários caminhos para se alcançar um objetivo, mas por que sempre escolho o caminho mais longo, árduo e famoso pelo seu grau de dificuldade?
__A gente sempre aprende com os erros. Mas por que sempre tenho de errar pra aprender? Não ouço ninguém, por mais que queira acreditar no contrário. Alertam-me quanto às dificuldades profissionais, sociais, amorosas, além de muitas outras coisas e, mesmo assim, "é ver pra crer".
__Sempre vai haver uma pedra no meio do meu caminho. Mesmo que não haja naturalmente, colocá-la-ei, até inconscientemente, mas farei questão de que ela esteja lá. Por que facilitar se tem meios fáceis de dificultar? Simples: não sei. Não há nexo nenhum em meus atos, em meus pensamentos... Por que, então, não paro de me questionar, sendo que isso durará até quando durar...?
__É complicado viver assim. Na verdade, não é complicado viver, mas ser assim é totalmente incompreensível. Sabe-se lá por que não dou um basta... Talvez porque seria fácil demais me aceitar, ou faria anos passarem em segundo... A verdade é que é difícil demais me aceitar. O fácil é questionar e continuar inerte.
__A vida é passageira, mas gostaria de ter uma passagem, pelo menos. Já tenho o passaporte, só falta porte, enquanto vejo tudo e todos passarem. Alguns, simplesmente, passarem. Como eu. Por enquanto...

.cincoente.um. .interrogação.

.parafrase.
.interrog.ação.

Interrogação

?
Interroga-te.

.cincoenta. .reticência.

.diadia.
.eco.
.eca.
.oco.

Reticência

Encostado
__cansado

das coisas que se repetem
_da não-mudança

__monotonia
__melancolia
__ nostalgia

tal tom me traz
_tudo num tempo

__lembrança
__ cobrança

__sem pista
_sem tesouro

_sonho impossível
_ surto impulsivo

chiados de trilha sonora
o silêncio, o grito interior, bate-papo pobre, tv inútil, também
aumentando um tic-tac
_amedrontador

_sem explicação
_sem satisfação

eco de bueiro

eco de droga

eco de solidão encrustada

eco de ...

acode.
acorde.
recorde.
se não a febre tifóide.

.cuarente.nove. .cadê você, senhor?.

.extesto. .entre.
.recuperação.

Cadê Você, Senhor?

__À espera de explicações exteriores. Um entendimento presumido e resumido de, quem sabe, sinopses mal acabadas. Sou simples, mas complicando mente me integro íntegro e entrego próprios quereres.
__À espera de impasses que repassem meu estado de espírito e, não querendo me expressar diretamente, busco subjetividades como atividade passiva constante.
__À espera de ser ímpeto limpo de estética. Ceticismo que cismo em me submeter, às vezes sábio ou oportunista. Isto posto, me descubro frágil e propenso a falhas como qualquer outro em qualquer situação.
__À espera de incitação, suponho. Exponho só. Com certeza subjetivas de um vaivém inconstante. Opções imprecisas - empréstimos de sentimento -, ofuscadas num silêncio, ou até mesmo num ruído, maquiavélico.
__À espera do estático: paro para pararem sem porquê. Peco num podre pensar decadente de verdade e vontade. Mas destes muitos tensos prazeres, recrio-me, isto é, eclipse de vazios.
__Alcanço no desespero e, desesperadamente, espero. Invejo. Silencio. Dito dados, infundados por (des)interesse. Desintegro-me sem saber como, quando, onde e por quê. Só quero que o meu seja seu sem que seja claramente meu. Ou seu.

2.4.09

.cuarente.oito. .dia de mentira.

.entre.
.primeiro.brasil.
.homen.agem.ao.diadia.

Dia de Mentira

Hoje é dia de ser brasileiro
Assumir você por inteiro
Mentir sobre o que puder
E rir da verdade que vier

Vou me esconder, vou me omitir
Vou gritar, zoar, fugir
Vou me confundir com um e dois
Vou me trair e te enganar depois

Vou fingir que morri, digo...
Tá, vou virar perito!
Vou me perder e sair, digo...
Tá, vou dizer que acredito!

Vou escancarar minha maquiagem
Vou facilitar com legenda e dublagem
Vou ridicularizar minha viagem
Vou mergulhar e me afundar na sacanagem

Me tira deste mundo louco
Mentira qu'iss'tudo é pouco
Hoje é dia Primeiro de Abril
Hoje é dia segundo o Brasil

Pra gente todo dia é dia da mentira
Consciente covardia, minha cabeça pira
Puta que pariu, a Terra é presa por um fio
Enterra a guerra e finge que não é vil

Cicatriz que finca na epiderme
País na euforia cria verme
Juiz conjugado com julgado
Aprendiz trinca e brinca parado

Dado gira e o jogo continua
E você da sua janela vê a Lua
Roda viva com ponte de safena
Agora novamente assiste a cena

Vou escancarar minha maquiagem
Vou facilitar com legenda e dublagem
Vou ridicularizar minha imagem
Vou mergulhar e me afundar na sacanagem

Me tira deste mundo louco
Mentira qu'iss'tudo é pouco
Hoje é dia Primeiro de Abril
Hoje é dia segundo o Brasil

24.3.09

.cuarente.sete. .para bens cara ter.

.diadia. .h sem fim.
.por.em.par.em.tese.
.cor.antes.

Para Bens Cara Ter

Entre parênteses
_____a transparência
_entre parentes
_____e seus poréns

Mas parabéns
______aos seus corantes
__em que a cara
______de antes se refez

E bandeirantes sagazes
____deixam reféns
___ao léu
____visando horizontes

Valorizando detalhes
_______para retalhar
___também

Armadilha em plano
_____o conflito vem
__deslumbrante artifício
____que chocou o inimigo
para bens ter como bem entender

21.2.09

.cuarente.cinco. .o báskara.

.entre.
.mas.cara.

O Báskara

Lindas criaturas...

Ata dura a gravata
Grava a caricatura
Agrava a bravura
Diz cura à mamata

Mamma, mata tua horta!
Tua peste está à solta
Escondida atrás da moita
Esperando abrires porta

Para a parasita
Que de noite transita
- de dia bem na finta -
Parir larva infinita.

Manchete! Saiu foto:
Mascote de máscara
- decifra-o? -
Acertei na loto.

Mamma, mata tua horta!
Selecione sua sina
(já que tudo assina)
Assassina tua mata morta.

23.1.09

.cuarente.cuatro. .se...

.surrupiei.
.traduz: Guilherme de Almeida.
.sê.


Se...
Rudyard Kipling

Se és capaz de manter a tua calma quando
Todo o mundo já a perdeu e te culpa;
De crer em ti quando estão todos duvidando,
E para estes no entanto achar uma desculpa;
Se és capaz de esperer sem te desesperares,
Tu, enganado, não mentir ao mentiroso,
Tu, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
E não parecer bom demais, nem pretencioso;

e és capaz de pensar - sem que a isso só te atires;
De sonhar - sem fazer dos sonhos teus senhores;
Se encontrando a Derrota e o Triunfo conseguires
Tratar da mesma forma a esses dois impostores;
Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas
Em armadilhas as verdades que disseste
E as coisas, por que deste a vida, estraçalhadas,
E refazê-las com o bem pouco que te reste;

e és capaz de arriscar numa única parada
Tudo quanto ganhaste em toda a tua vida,
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
Resignado tornar ao ponto de partida;
De forçar coração, nervos, músculos, tudo
A dar seja o que for que neles ainda existe.
E a persistir assim quando, exaustos, contudo
Resta a Vontade em ti que ainda ordena: "Persiste";

e és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
E, entre Reis, não perder a naturalidade,
E de amigo, quer bons, quer maus, te defenderes;
Se a todos podes ser de alguma utilidade.
E és capaz de dar, segundo por segundo,
Ao minuto fatal todo valor e brilho,
Tua é a Terra co tudo o que existe no mundo,
E - o que ainda é muito mais - és um Homem, meu filho!

.cuarente.três.

.h sem fim. .peido mental.
.crescer.ou.querer.ser.

Nu em cena quando questiona o que quer querer
Vem vir ver o que você quer ser ou é sem saber
Pra pensar, vencer o que for meu, teu, nosso dever
Sem sofrer, temer, é só seguir seguindo: viver!

28.12.08

.cuarente.dois. .passa-tempo.

.diadia.
.sem.pre.sem.tem.po.ou.sempr.essa.con.versa

Passa-tempo

O tempo assaturnado. O trem passa.
O quadro borrifado de sentimento rápido como brisa de vácuo.
A menina exasperada. Tem pressa.
A assinatura tem seu traço sugado e desaparece antes de existir.

O tempo saturado da tua assinatura sem cheiro. Sem cor.
A nua é assassinada às escuras na esquina. Tem sua sepultura no bueiro.

O lixo agradado pelo gari-coveiro degrada no quadro encontrado na caçamba.
A desgraça é trivial. Saturno samba enquanto o trem-bala assusta.

A cidade passa, tem pressa. A menina pára, sem cor.
O tempo assaturnado...
Saturado da própria assinatura assassina.

23.6.08

.cuarente.um. .p'reço opti.mismo.

.diadia. .fluxo.
.V.
.vendo²otimismo.
.vai.vem.

P'reço opti.mismo

Ré.St., SP.
Diz: - Cansei.
QI may queimalcuco,tictac tudo
e-currupaco
Saco de Luccio...inútil
Semi-otário

Fissura.do locotontotá fazendoe
tantotá rindolendo

Diz: - fiz. "Ill" sóletrá comestudá
mastudá certo si lá fá sol raiá, né?

restou descansar cuco que queima
- Até, Caco! - diz Luciatenta, inutilmente.

Fiz cura no locutor. Loucotô fazendo..
Difícil,mente, mas tudo dá certo, né?
Tudo bem-bom hum.or two sente.

Cave alcova rápido
Sem mistério. Sem etéreo.
e-currupaco
a série do robô roubado
seria aQC queria

Tudo aéreo segue o patrão.
Segue sério, cegue o padrão.
Cemotário.

27.2.08

.cuarenta. .coro de cor.

.diadia. .surrupiei.
.me.do.dó.i.
.jesus chorou.mano brown.
.r.aciona.l

Coro de Cor

Eu detesto chorar.
Adoro chorinho. Admiro um chorão.
Mas nada é pior que estar com alguém nesta situação.

Não vou negar que choro sozinho.
Me arrependo quando não.
Arrepio ruim de ver alguém sofrendo sem razão.

"O que é, o que é? Clara e salgada
Cabe em um olho e pesa uma tonelada
Tem sabor de mar, pode ser discreta
Inquilina da dor, morada predileta
Na calada ela vem, refém da vingança
Irmã do desespero, rival da esperança
Pode ser causada por vermes e mundanas
Ou pelo espinho da flor cruel que você ama"

"e eu que me julguei forte, eu que me senti
Serei um fraco quando outras delas vir
Se o barato é louco e o processo é lento
Deixa eu caminhar contra o vento"

"Diz que homem não chora? Tá bom, falou...
Não vai pra grupo¹, irmão..."
¹= "não se engane".

Sossego no silêncio, no escuro do travesseiro.
E só. Pra mim, mó pesadelo.
Não fito e nem entendo. Fico trêmulo.
Dói. Não lido. Desespero.
Desintegro-me inteiro. Assombro verdadeiro.
Tenho medo. Melhor é esquecê-lo.
Dá nó. Desenrolo o novelo.
Não consigo, mas percebo. Não adianta, eu não agüento.
Tô só. Caos intenso. Repenso.
Mesmo cabreiro, não o dispenso.
Tô tenso. O cigarro é meu parceiro.
Inferno de momento e não sei resolvê-lo.

"Porra, vagabundo, ó, vou te falar
Eita mundo bom de acabar..."

"Num entende o que eu sou, não entende o que eu faço
não entende a dor e as lágrimas do palhaço
Mundo em decomposição por um triz
Transforma um irmão meu num verme infeliz
E a minha mãe diz: '(...)
Olha o tanto que eu sofri, o que eu sou, o que eu fui
A inveja mata um, tem muita gente ruim'"

"Dinheiro é bom, quero sim, se essa é a pergunta,
mas dona Ana fez de mim um homem e não uma puta"

"Cadê o meu sorriso? Onde tá? É, quem roubou?
Humanidade é má..."

Sossego no silêncio.
Pra mim, mó pesadelo.
Tenho medo. Caos intenso.
O cigarro é meu parceiro.

"Chuva cai lá fora e aumenta o ritmo
Sozinho eu sou agora o meu inimigo íntimo
Lembranças más vêm, pensamento bom vai
Me ajude, sozinho penso merda pá carái
Gente que acredito, gosto e admiro
Brigava por justiça e paz, levou tiro"

"Zé povinho é cão, têm esses defeitos
Cê tendo ou não, cresce ozóio de qualquer jeito"

"Lágrimas...
Molha a medalha de um vencedor
Chora agora, ri depois..."

.trinte.nove. coraçãocabeça.

.surrupiei.
.ao.gosto.

coraçãocabeça
Augusto de Campos


clika

19.2.08

.trinte.oito. .infinito particular.

.surrupiei.
.enfim.isto.

Infinito Particular
Marisa Monte

Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta-bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular

Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular

13.2.08

.trinte.sete.

.situação.
.com.fiança.

Anônimo : "Não se pode confiar em quem
não confia em ninguém" : ∞
Anônimo

.trinte.seis.

.situação.
.vôo.
.forward.


Carl : "Não sei onde vou, mas já estou a caminho" : ∞ Sandburg

replay:
Paulo : "Quem tem Q.I. vai" : ∞ Leminski

---
: Terapia é agir : ∞

13.11.07

.trinte.cinco. .vadio.

.diadia.
.versus.

Vadio

Animo-me mesmo sem ânimo
Amigo que mesmo sem hábito
Constrói um sereno recanto ou
Que rói do veneno infame no

Terreno baldio
Dum
Terrestre vadio
Que
Vive vadio e morre vadio...

Janela. Vida.
Já vi nela o que ninguém nunca viu.
Já nele, vida.
Vi-a sem saída e ainda sorriu...

Tijolo por tijolo, ciúme burro!

Vá, meu Deus! Vá, Dio mio!
Vá, Dio! Vadio! Vá Dio vadio...

Espero tanto tudo e o todo muda
Enquanto mudo junto, tudo ajuda
Agora, estar sozinho tudo muda
E esperar tanto tudo agora nada.

Laudo do baldo que faz baliza errada:
Teu balde, Teobaldo, está vazio.
Confie em mim, minha palavra nunca falha (se ouvisse...):
Vice- nunca é bom, viu? Limpe as tralhas...

Vá, meu Deus! Vá, Dio mio!
Vá, Dio! Vadio! Vá Dio vadio...

Vi-a sem saída e ainda sorriu...

Jogo o jogo do bicho do mato
Me mato de verde e amarelo
Sentado, sem tudo, sem porta ou prato
Vislumbro sapato ou chinelo

Eu salvo a dor pulando rio
Eu sambo doído com o crioulo
E do meu começo ou do fim
Puxo o fio que deu nó no miolo

Desanimo mesmo com ânimo
Desabituo do mesmo amigo
Tijolo por tijolo, filme burro!
Teu balde, Teobaldo, está vazio.

Terreno baldio
Dum
Terrestre vadio
Que
Vive vadio e morre vadio...

A vida sem saída somente
Ainda assim a vi.

Ativa, mente.

7.10.07

.trinte.cuatro. .ou viu? respondendo.

.entre.
.neutro.tom.

Ou viu? Respondendo

Procurando
Remexendo
Vasculhando...
Procurando
Remexendo
Vasculhando...

Querendo entender o que deveria ser dito.
Tanto pra dizer pra se perder no não-dito.
Grito silencioso ou silenciado por um mito.
Tanto pra dizer calado ou o medo que fito.

Bonito?

Sinto
Ah, se sinto!
Não omito. Não tenho direitos.

Procurando o (silêncio).

Sirene sonora! Que som n'hora errada... Soou noutro tom embora finalizada.

Procurando
Remexendo
Vasculhando...

Me desvio do dizer vazio e do vazio desvio. Ouviu? Ou viu? Diz: viu e desovou.

Círculo vicioso de (pausa).

Procurando
Remexendo
Vasculhando...

Sereno. Que ser n'hora errada... Sou noutro tom embora finalizado.

Direito nenhum direto de (trevas).

Dir-se-ia que Dirce ia, mas, outrora errado, finaliza noutro tom de privada.

Procurando
Remexendo
Vasculhando...

Querendo Entendendo Devendo...
Tentando Dizendo Perdendo...
Gritando Silenciando Mitificando...
Calando (noutro tom) Medo.

.trinte.três. .fu-fu ga-ga.

.entre.
.sede.

Fu-fu Ga-ga

Nasce o bebê que bebe a água da espera. A esperança lidera na ladeira da vida. Videira que vinha e tinha o bendito usufruto. Futuro do fruto que desfruta da usura.

Nossa vida em teu seio de tua ceia escassa. Escarra na cara do cara tarado. Parado amansa a mãe ânsia e não responde. Respaldo à noite foi-te como foice.

Na certa não é páreo, pare-o ou alcance-o. Ao câncer, o demônio de amônio barato. Bárbaro ato do líder idem de mídia maior. Major marginaliza no mijo o medíocre de hoje.

Nisso o bobo baba pelo bê-á-bá. Busca música fúlgida lúdica e ilógica. Inóspita hóstia que cospe como paródia. Para o dia que preparou, parou e pariu o bebê d'ouro.

30.9.07

.trinte.dois. .primeiramente.

.entre.
.mi.fá.sol.lá.

Primeiramente

Antes de tudo, o homem, de tudo, foi feito.
Feito como foto, como fato...
Como fita, olfato, mesmo.

O homem que descobre o que quer está atrasado. Como eu.
O homem que descobre a infância está atrasado. Como eu.
O homem que descobre sua própria fonte... Também. Como eu.

Hospital de Ofício.

Quem não quer conhecer ou, se preferir, descobrir os próprios e próximos passos?
Passo próximo...
Próximo passo:

29.8.07

.trinte.um. .ed éden.

.diadia.
.agouro.

Ed Éden

Quando... ou Se...?
Ou... se quando...?

Enfim, quando se é... Enfim, quando se é... (...) Enfim.

Sê quando?

,_,Vontade
,_,Va
mpiro

Piro em vão.

Vamos-embora.
Meus Eu, Me, Mim, Comigo...
---
: vi meu reflexo numa poça d'água suja : ∞

14.8.07

.trinta.

.situação.
.fingi.dor.

Fernando : "O poeta é um fingidor" : ∞ Pessoa

.vinte.nove. .isto.

.surrupiei.
.poema.

Isto
Fernando Pessoa

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

13.8.07

.vinte.oito. .judite.

.fluxo.
.III.
.Ju...?.


Judite

Ju, meus deu veio
e deus meu: (censurado)
e seus deu, meu?
Vem-deus!

de dia
judia,
de noite
católica.

Ou:

de dia
católica,
de noite,
judia?

Agnóstico
juiz ou médico? (prognóstico)
Ju, diagnóstico:
médi-co juiz,ô!

de dia
judia,
de noite
católica.

Ou:

de dia
julga,
de noite
pulga?

Psiu, alto lá, autocrítica!
No "auto" não, né?
Psiu, critica baixo
qu'eu 'inda escuto...

Ju...?

.vinte.sete. mor rom.

.diadia.
.re.feito: .dez.seis.
.O.R.M.


Mor ROM

De forma disforme, uma enorme reforma (des)informa o coliforme que transforma.
Deforma uma norma uniforme.
E dorme.

Forme.
Deforme.
Reforme.
Transforme.

Desinforme e informe.
---
∞ : nova mente não inova o que já é novidade :

11.8.07

.vinte.seis. .submarino.

.entre.
.eu.momento.
.s.eu.[me.]minto.?.
.agora.im.p.ele.se.prende.

Submarino

Submarciano
_vendo a vida lá fora.
Aqui dentro
_nada interessa. tudo estressa, agora.

Vejo a paisagem.
_Distante.
Desejo massagem
_constante.

Caminhos diferentes
_a inconscientes submarinos.
Perda, procura
_pela substância dos meninos.

Crescimento
_ou apodrecimento involuntário.
Contrário
_ao conhecimento temporário.

O Submarino terrestre
que mede a vida alheia.
O Submarino do mestre
que pede por areia.

Inconformismo cotidiano
impede o insano. _______________impele o dano.

Fascismo do educando
aprende copiando. _________________se prende tentando.

23.7.07

.vinte.cinco.

.parafrase.
.P.A.Cabral?.

________((des)) cobriram o Brasil ?
_________ de
________quando
__________¿

24.6.07

.vinte.quatro. .e/ou.

.entre.
.melô.dia.dúvida.

E/Ou

Defina. São: Quem?
Definha a ação. Hein?

_____Bem, sim, pensei.
_____Bem, sou, o.k?

_____Sim, bem pensei.
_____Estou bem, o.k?

Mente. Mente. Rápida mente.
Abrange gente. Abrangente.

Sente. Sente. Sente ou deite.
Água ou leite? Só deleite.

Sim? Não? Talvez.
Sim! Não! Talvez?

Tal vez eu quis.
Talvez eu queira.
Tal vez eu fiz.
Farei, talvez.

Agora, pra sempre moro no
Agora... Ou pra sempre...
Agora, pra sempre moro no
Agora... Ou pra sempre...

Agora, digo moro no
Agora diz: moro no
Agora, diga: moro no
Agora, desmorono

Defina. És: Quê?
Definha os pés. Por quê?

Andes. Andes. Andes ou corras.
Vivas ou morras? Masmorras.

Sente. Sente. Discente distante.
Depois ou antes? Só instante.

Sem? Com? Talvez.
Sim! Com! Talvez?

16.6.07

.vinte.três. julga mente.

.entre.
.auto.explicativo.

Julga Mente

Um protagonista acessível
Sensível, incrivelmente crível
Recua, se rirem
É tua lua: respirem
Sem bife passado
Mal ou bem

Sem presunto de "
presente " de
futuro Dio odiado -
que não se arrepende

Escolhe, recolhe
Colher que esfaqueia

Permeia
Conforme
Coliforme
Uniforme
Rodeia

Teia na telha da orelha
________________feia?

29.5.07

.vinte.dois. .d de formiga.

.entre.
.Dia D.
.D.pois.d.Reflexão.


D de Formiga

Ouço soluços e sussurros
____de Juans e Casmurros
____discutindo dificuldades,
____________________divergentes verdades.

Político,
____ouvi dizer,
que Formiga quer morrer.
___________________Assessor, não seja burro.
___________________Se pirar, te esmurro.

Tímido____________(ou temido?)
Te intimo_____(ou intimido?)
___________________________ao som do proibido
tens ou tenho vivido?

Gato cai de .
____Gado quebra o .
Moleque sai a PÉ.
____Enfim, não dá .

____Ouvi dizer que Formiga
_pula_________________se quiser,
_____mas não dou barriga
______haja o que houver.

Será que Formiga morre?
Como você não sei.
Será que Formiga socorre?
Já disse que não sei.
Será que Formiga...
Que porre! Não sei!

Ocorre.
E parado, parei.

Acode ou corre!
Fiquei.

Depois de décadas pensei:
__________________"Por que não fui Formiga?"
_TENTAÇÃO..._______mas nunca tentei.

____Formiga, o príncipe mendigo,
como sempre digo
____mesmo depois do ocorrido
______________________talvez até depois disso
____Formiga é rei.

Nasceu e morreu em 2006.
... conheci Formigas com dezesseis.
Hoje, pensando hoje,
_____________lembrando ontem.____Quero amanhã
______________________________já faz mais de mês.

mas minha cama me chama

Então, Burguês-Freguês,
t a l v e z __nos vemos alguma outra vez.

____
Formiga, errei.

25.5.07

.vinte.um. .cilada:lado.

.fluxo.
.IV.
.inc.ou não.


Cilada:lado

cuspo:cuspe
caço:caça
coço:caspa

coca:cola
cola:cola

colo:colo

calo:galo:falo
gala:cala:fala

gosto:gosto
gozo:gozo

fito:fato
olho:olha:olho

trupe:trapo
tropa:tripa
trapa:a...
mastro:mostra
mestre:maestro
mostra:mistura

selo:cela:ralo

22.5.07

.vinte. A1v3/\/4r1a, /\/\ã0 d0 D3u5.

.entre.
.0.1.2.3.4.5.6.7.8.9.

A1v3/\/4r14, /\/\ã0 d0 D3u5

Me esquentando do frio
________________debaixo da coberta
Me refrescando do calor
________________de janela aberta
Me protegendo da seca
________________da chuva
______________________de tudo
___________________________atrás de várias telas-celas

Me protegendo do frio
________________dentro da alvenaria
Me protegendo do calor
________________dentro da alvenaria
Me protegendo da chuva
________________da seca
_____________________de você
__________________________dentro da alvenaria

Me protegendo de tudo
________________de todos
Me escondendo de tudo
________________de todos
______________________dentro de várias telas
_____________________________________celas
________________________________________janelas
______________________do mundo

Me protegendo de tudo
________________de todos
Me escondendo de tudo
________________de todos
______________________dentro de várias telas
_____________________________________celas
________________________________________janelas
______________________do Google

Me escondendo das
______________e nas
__________________telas
_____________________celas
________________________janelas
_____________________________do mundo
____________________________________do Google

Meu espelho de ouro quebrou
Não sei mais quem sou
________________quem sois
_______________________quem somos
________________________________se fomos, seremos...

Seleção artificial

(d3S)\/1®tU@rT30F1C1@L

______spam
______scan
__________vírus símios
__________semens
__________________atrás de várias telas-celas

Me protegendo da
_____________e na
Me escondendo da
_____________e na
________________seca
___________________chuva
________________________de tudo
_____________________________de todos

Alvenaria virtual

(d3S)\/1®tU@rT30F1C1@L

______start
______mísseis
___________verossímeis
___________missas
___________________atrás de várias velas-celas

Me protegendo do
_____________e no
Me escondendo do
_____________e no
________________dono
___________________de tudo
________________________de todos

Meu espelho de outro quebrou
Não sei mais quem sou
________________quem sois
_______________________quem somos
________________________________se fomos, seremos...

23.4.07

.dez.nove. .cruze.

.entre.
.corda bomba.
.de.mentirinha.ou não.

Cruze

São 5.

Eu preciso parar. Pensar.
Pensar em parar de parar de pensar.

Crise classe média é foda.

Remediar-me sem prescrição.
Doses diárias.

Agenda antiga de vontade.
25, 26, 27, 07, 2004.

Crise recente de decência.
Apavorado.

1, 2, 3, 4, 5 e segundos...

Hollywood.
Trago o estrago.
Gago.

Crise classe média é foda.

Você...Eu

Sem eira nem beira.
Nas coxas.
A ver navios.

Sem romantismo, concretismo, didatismo, cinismo ou até mesmo revolta.

Cruz credo! ao ².

A alguma coisa - craseado.

Parafraseado.
Parafuso.
Para fusão.

Apara dor.
Ah, pára, dor.

Quero um livro livre.
Lavrar minha terra.
Enterrar minha larva.
com calma

10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1.

Acalmar meu ego.

Crise classe média é foda.

Rédia é foda. E foda-se!

- Com minhas pernas caminho.

1, 2, 3, 4, 5 e seguindo.

Fita zebrada amarelo-preta na bagunça da cabeça (é?).

Só sentar. Longe.

Observar. Estrelas.

Imaginar por que brilham.

Sem superstição, intuição ou até mesmo filosofia.

Só observar.

Você...Eu

Crise classe foda é média.

Não sai.
Nem vai.

- Boa noite.

26.2.07

.dez.oito.

.situação.
.buraco.acme.

Chico ∞ : "Tem dias que a gente se sente
como quem partiu ou morreu" : ∞ Buarque

23.2.07

.dez.seis. .orm, orm, orm.

.diadia.
.seu.não durmo.

Orm, Orm, Orm

De forma disforme, uma enorme reforma informa o coliforme que transforma.
Deforma uma norma uniforme.
E dorme.
Desinforma.

Forme.
Deforme.
Reforme.
Transforme.

Desinforme e informe.

dorme.

21.2.07

.quinze. .olhar recolhido.

.on demand.
.hoje não há sonhos.
.by.Rodrigo Spina.:.sinestesia.

Olhar Recolhido

O olhar cheira o verde
_____ acaricia o vento
_____ saboreia o vácuo
e chora.

ouvindo o esquecimento.

O olhar respira o barulho
_____ abraça a paisagem
_____ cospe o vácuo
e chora.

ouvindo o entendimento.

O olhar funga o amargo
_____ aperta a poeira
_____ engole o vácuo
e chora.

ouvindo a memória.

O olhar flutua desespero
_____ fantasia descaso
_____ engasga vácuo
e chora.

ouvindo a reflexão.

O olhar escutando a doce, macia e cheirosa vida,
sintético e anestesiado de vida,
chora pelo olho cego do próprio olhar.

O olhar que tateia o olfato e escuta o paladar
para descobrir-se no
silêncio,
_____ vazio,
_________ inodoro,
_______________ desgosto,

por que foges do escuro?

Suor na nuca refletido num espelho opaco
remetendo ao infinito de um.

Arrepiando a retina

Florescendo o pensamento


O olhar gritando, nervoso, para olhar.

Cego vácuo.

19.2.07

.treze. .a ressurreição.

.entre.
.vid.a.mor.te.

A Ressurreição

Mente.
O espaço, detalhadamente desenhado e extremamente denso, ermo, sombrio, é agonizante e, ao mesmo tempo, tranqüilizante.
Mesmo.
Paradoxalmente é uma variável entre lugar amigável e desconfortável.
Martírio.
Como comparar um espaço só seu aos tantos recintos jogados já visitados nos quais você se perdeu?
Mistério.
Verdadeiros labirintos fechados que te fizeram observar, caminhar, refletir, chorar, lutar, resistir.
Medo.
Você pensa em desistir e se vê inundando em um mar de podridão.
Manchado.
Ratos coloridos e mascarados multiplicam-se, e te asfixiam.
Mais.
Você não distingue nada nem ninguém em meio a esta imunda escuridão, mas lembra que uns te maltratavam, outros temiam e fugiam, alguns se repugnavam e tinham os que, inertes, simplesmente, assistiam.
Maldade.
Solitário um otário gritava por socorro, enquanto tantas costas lhe eram dadas.
Memória.
Inútil imaginar que suas tantas vitórias realizadas fossem consagradas.
Mérito.
A reprodução seria numa desprezada linha num pedaço de papel encapado ou amassado.
Merda.
Misturado entre tantos excrementos pseudocômicos ou pseudodramáticos de um mundo modernizado e desvalorizado.
Mantém.
Valores demais traduzidos são menos valores para os poderosos.
Manobra.
Quebra-cabeça monstruoso mostrando, indiretamente, claro, atos perigosos.
Mandar.
Seu, meu; meu, nosso.
Mongol.
Esmagado por sussurros e vozes palpitando e palpitando e palpitando, não posso.
Mostra.
Ansiedade, desespero, agonia, aflição.
Mudança.
Mentindo o tempo inteiro, anomalia é atração.
Mais.
Não, não, não.
Marasmo.
Foi sugado completamente o ser inocente e, agora, inválido.
Momento.
Silenciado o espaço, passo e rebato, pálido.
Mimado.
Musicada a tragédia do infantil crente inconseqüente que desmente a origem de tanta ganância.
Mentiras.
Causa: ignorância; Conseqüência: ânsia.
Mergulha.Arrastando-me por entre detritos, sufocando minhas tentativas de liberdade, me acostumei como muitos que se arrastam ou arrastaram-se por aqui.
Montagem.
Força para remodelar a mente moderna para que mostre muito mais que meras desumanidades que eu vi.
Maluco.
Lúcido ou não, brotei do lixo, e, sinto, me leve; a madrugada me leva.
Maravilha.
Comprimento a Lua, estrelas e borboletas; agradeço o espaço que a vida me reserva.
Maestro.
Minha mente, meu espaço, meu sangue, meu labirinto; não me perco mais.
Mago.
Controlo e descontrolo o que sinto.
Menino.
Paz

Morri.
E estou aqui para dizer o que não havia dito: a ressurreição mental é a única na qual eu, realmente acredito.
Meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu.

Não são espasmos ou sarcasmo, egoísmo, egocentrismo, desentusiasmo, pessimismo, antipatriotismo ou aversão.
Não.
São memórias vivas, sentimentos conscientizados agora expostos nesta minha ressurreição.
Meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu.

Não são espasmos ou sarcasmo, egoísmo, egocentrismo, desentusiasmo, pessimismo, antipatriotismo ou aversão.
Não.
São memórias vivas, sentimentos conscientizados agora expostos nesta minha ressurreição.
Meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu, meu.

11.2.07

.doze. .morreviver.

.on demand.
.vid.amor.te.
.by.Rodrigo Spina.:.morte e vida.


Morreviver

Existe criar.
Ancorado na vida.

Existe destruir.
Ancorado na vida.

Criar e destruir âncoras.
Coexistir na vida com a morte.

Ressurreição em terra para a terra.
Seja de onde for. Sem trote.

Sobreviver, não.
Sobre viver são.

''Somos muitos Severinos
iguais em tudo na vida:"
(...)
"morreremos de morte igual,
mesma morte severina:"
(...)
"E não há melhor resposta
que o espetáculo da vida:"